“O bom ator consegue entender as emoções vivenciadas”

A novela das onze, Liberdade, Liberdade”, da Rede Globo, chega ao fim esta semana e presenteou o público com a participação do ator Rámon Gonçalves, com o temido torturador Guilhermo. O ator já era figura conhecida do canal de televendas Shoptime, mas muitos não sabiam que era ator também e isso tem uma explicação: foi a estreia dele em novelas!

O Brasil sempre soube abraçar os seus artistas, é bem verdade que “maltrata” algumas vezes, com os inúmeros descasos com a cultura, mas o talento deles é tanto, que mesmo nas adversidades, conseguem se sobressair.

Rámon tem talento, o país abraçou e se o “maltratarem”, tenho certeza que vai dar a volta por cima, pois demonstra pulso firme e discernimento para entender as dores e delícias da profissão. 

4080af78b97f9ff68c0e40a6f303e847

Ramón Gonçalves. Foto: Divulgação.

Cj MartimNovelas de época não correm o risco do contexto histórico ficar em segundo plano e a história da obra em si tomar uma proporção maior? Isso é bom ou é ruim?

RamónEu não vejo como problema a história ganhar uma proporção maior, desde que o contexto histórico seja respeitado. Ele se encontra nas relações culturais, sociais e no modo de vida das pessoas na época, e isso já oferece um conteúdo maravilhoso de reflexão. Lembro que quando entrei na cidade cenográfica da novela, numa das primeiras vezes, era uma cena de festa, então víamos claramente a divisão social estabelecida. Os escravos nos cantos ou trabalhando, os grupos de nobres e a plebe, e como a trama permeava todos esses segmentos. Era angustiante, de  determinada forma, saber que pessoas viviam daquela maneira, mas ao mesmo tempo, revelador.

Eu me senti mais grato pela evolução do entendimento humano na atualidade, apesar de estamos ainda longe do ideal. Por sua vez, se o contexto histórico for bom, mas a história pouco atrativa, o resultado não é bom. Acho que esse é o segredo do sucesso de Liberdade Liberdade. Uma história fascinante, dentro do contexto histórico, que desperta a atenção e a curiosidade.

Cj Martim: O processo de composição de um personagem pode levar um ator à loucura, porque mexe com emoções e testa sensibilidades?

RamónAcredito que não à loucura, pois o bom ator consegue entender as emoções vivenciadas nas situações reais das que são buscadas no íntimo para vivenciar o personagem. Mas esse limiar, às vezes, é muito tênue. Quando recebi o Guilhermo, que é um matador, torturador, tive que buscar compreender a dureza, a revolta, a amargura de pessoas assim, para dar vida na pele e tornar crível suas atitudes. E você sabe que ator quando está pensando no personagem e decorando texto fica meio maluco na rua, né? Esse tipo de loucura acontece (risos). Eu ficava buscando esses sentimentos até que um dia uma vizinha olhou pra mim horrorizada, foi quando percebi que estava com uma cara assustadora pensando nas cenas. O laboratório estava funcionando.

Cj Martim:  Como surgiu o convite para “Liberdade, Liberdade”

Rámon:   Eu havia trabalhado como apresentador num canal de vendas por mais de 7 anos. Depois de alguns meses, resolvi renovar o meu cadastro como ator na Globo, já que essa é a minha formação inicial. A Márcia Andrade, produtora de elenco da novela, viu minha nova cena de cadastro e gostou. Ela precisava de um ator com meu perfil para o personagem. Já havíamos trabalhado juntos há muitos anos em algumas participações que havia feito na casa. O mais engraçado é que o personagem era o oposto do meu registro de “cara legal” que eu havia desenvolvido por tantos anos como apresentador, e que deixei na cena do cadastro. Guilhermo era um matador, um torturador. Nem preciso dizer que esse desafio foi super estimulante. Ela sabia da minha formação em cênicas e já tinha me visto atuar, e me chamou pra fazer o teste. O Vinícius Coimbra, diretor geral da novela, gostou, e fui contratado.

Cj Martim:Você foi apresentador de canal de televendas. O poder de persuasão é trabalhado em que nível para atrair consumidores?

Rámon Eu acho que o maior poder de persuasão é conhecer e explicar bem o produto, para que a pessoa saiba o que é, e se precisa realmente daquilo, juntamente com a simpatia e a alegria que você leva para as pessoas. Quando você é verdadeiro e consegue passar o uso real na vida de quem está assistindo o programa, o sucesso é garantido.

Cj Martim: Como se define como ator?

RámonDepois que entendo o psicológico e as características físicas do personagem, estudo bastante a intenção do texto e o contexto na trama. Isso é trabalho de casa. Mas o que percebo é que consigo ter uma plasticidade de ação para adequar a minha interpretação à visão do diretor na cena. E isso é importantíssimo para o trabalho, pois o diretor é que oferece essa visão mais geral do que deve ser feito. Ela deve ser compreendida e adequada para o sucesso da cena e da obra.

Cj Martim: O Brasil tem condições de reclamar do presente se ignora seu passado?

RámonO conhecimento do passado é fundamental, não só para aprendermos com os erros, mas principalmente para nos darmos conta de como já melhoramos como sociedade, no entendimento dos direitos humanos, nas relações trabalhistas, no direito de expressão, apesar, claro, de estarmos ainda longe do ideal. Acredito que o ser humano tem uma necessidade intrínseca de evoluir, de melhorar. Tanto no seu micro universo, nas suas conquistas pessoais, como no macro, nas relações sociais e como povo. E isso de fato tem acontecido.

A maioria de nós já condena a violência, se indigna com a injustiça, não concebe a escravidão, estamos evoluindo no entendimento da igualdade e liberdade. E isso é muito importante para nos darmos conta do nosso grande potencial de mudança e que juntos podemos nos transformar numa sociedade melhor, com pessoas mais plenas e felizes.Não vejo a reclamação como algo que possa ajudar nessa constante mudança, e sim a consciência do que precisa ser feito juntamente com a força da ação de cada um de nós.

 

Anúncios

7 comentários sobre ““O bom ator consegue entender as emoções vivenciadas”

  1. Nara Maria Canez Garcia disse:

    Bem sou fã número 1 do Ramón Gonçalves,ele sabe disso pois tive o prazer de conhece-lo no canal de televendas ,mas sem dúvida amei o trabalho dele como ator ,ele está de parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Lucelia Costa disse:

    Uma qualidade absurda atuando, quem o conhece sabe o quanto esse personagem foi o oposto dele, sou cada dia mais fã e torço para que esteja em outros produtos da emissora, estarei acompanhando com certeza. Parabêns, ótima entrevista.

    Curtir

  3. Lucelia Costa disse:

    Uma qualidade absurda atuando, quem o conhece sabe o quanto esse personagem foi o oposto dele, sou cada dia mais fã e torço para que esteja em outros produtos da emissora, estarei acompanhando com certeza. Parabêns, ótima entrevista.9

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s