Tadeu Lenhardt: “Se você não se cuidar internamente, tudo acaba virando ilusão e infelicidade”

Tadeu Lenhardt é modelo, realiza trabalhos significativos em diversas campanhas, desfiles de moda, sem abrir mão da privacidade, contato com os amigos e família.

Nesta entrevista exclusiva, ao Cj Martim, o modelo explica os novos projetos profissionais e sua opinião em relação a fama.

Tadeu é uma pessoa leve, só espero que a vida seja leve com ele também.

img_0322
Tadeu Lenhardt. Foto: Cris Madureira.

 

Cj Martim: A carreira de modelo surgiu naturalmente ou teve pressão de amigos e parentes?

Tadeu: Não teve nenhum tipo de pressão, nenhum tipo mesmo, sabe quando as coisas acontecem, e quando vimos aconteceu? Foi assim mesmo.

Cj Martim: O modelo necessariamente precisa virar escravo de roupas de grifes para dar continuidade à imagem que estampa em campanhas?

Tadeu: Não, acho que pra dar certo mesmo, antes de tudo o modelo precisa deixar a sua pessoa, a sua essência florescer, mostrar sua liberdade através de cada trabalho, nunca virar um robô ou um escravo.

Cj Martim: Conta um pouco da sua rotina, sua relação com família e suas preferências musicais.

Tadeu: Costumo acordar bem cedo, tomo café da manhã e vou para academia, e fico praticamente a manhã toda, chego em casa, faço meu almoço, e lá se vão duas horas e meia,então,no resto do dia, faço coisas que preciso fazer, vou ao mercado, quando tem casting vou, procuro não ficar muito parado,não me faz bem.

Cj Martim: Seu cabelo já virou sua marca registrada. Como funcionava sua vaidade antes de modelar?

Tadeu: Não, não virou, talvez vire, não faço nada nele, só lavo com shampoo e com água fria.

Cj Martim: Esse mercado da moda, juntamente com a fama, é um “mundo de Alice”, marcado por ilusões e poucas alegrias sinceras?

Tadeu: Eu acho que, se você não se não se cuidar internamente, tudo acaba virando ilusão e infelicidade, a fama é vista como algo extraordinário, mas é um perigo ao ser humano, as suas virtudes. A fama nada mais é do que a consequência de um trabalho bem feito.

Cj Martim: Quais projetos profissionais para 2017? Qual vai ser seu discurso? O que defende?

Tadeu: Não sei, não penso no que vai acontecer, estou deixando rolar. Defendo o bem, a paz e tudo que traga luz e amor.

Cj Martim: O que tem mais medo? Do ego inflado ou da felicidade passageira?

Tadeu: Ego, com certeza, sem dúvida alguma. É um mal pro espírito, que nos afasta de sermos criaturas divinas.

Cj Martim: Por que muitos modelos não se manifestam politicamente nas redes sociais?

Tadeu: Não sei, cada um tem um jeito de pensar né, então, eu não saberia dizer o porquê.

Cj Martim: Qual importância da música na sua vida? É sua fonte de calmaria? 

Tadeu: A música influência muito meu estado de espírito, podendo me proporcionar sentimentos bons. Gosto muito de músicas que me fazem refletir, mas sou eclético.

 


 

 

 

 

Deixe uma resposta