Duas Medidas: “Nós estamos amadurecendo e cada vez mais encontrando a nossa identidade musical”

“Já é carnaval cidade, acorda pra ver, a chuva passou cidade, e o sol brilha aê”, já diz a música “Acorda Cidade”, do compositor e cantor Gerônimo, e  traduz bastante o espírito do carnaval, que já começou!

[Entrevista Exclusiva] Os meninos da banda Duas Medidas, liderada pelo vocalista Lincoln Sena, contam suas impressões em relação à axé music.

Com crise, sem crise, ouvir axé music continua sendo uma boa pedida nesse período do carnaval, aliás para o ano todo. A nova geração da música baiana é o refresco necessário para o gênero não ficar isolado e triste em algum canto.

001

Banda Duas Medidas. Foto: Divulgação.

Cj Martim: O axé anda em crise artística,algo natural do mercado.Para muitos,vocês são o ponto de renovação da música baiana e quem pode dar fôlego ao gênero.Existe uma percepção desse quadro e medidas tomadas para propor novidades à música produzida aqui?

Duas Medidas: Fico feliz que nos enxerguem como este ponto de renovação! A nossa terra tem muita gente boa, nós respiramos arte e música! A gente simplesmente não para. O tempo inteiro a gente estuda, pesquisa e trabalha para produzir coisas novas! A internet é uma grande plataforma onde o nosso público está especialmente presente, e isso ajuda bastante a manter o movimento através das nossas redes sociais.

Cj Martim: Como surgiu a ideia do Bloco Burburinho? O público alvo atingido era o que idealizavam?

Duas Medidas: O Bloco Burburinho teve os seus dois primeiros anos comandado pelo nosso querido Alexandre Peixe. Depois ele seguiu para outros projetos e nos foi feito o convite através da nossa produtora Penta Entretenimento, para puxar o bloco. Foi uma grande honra, e agarramos esta oportunidade com unhas e dentes! Logo no primeiro ano fizemos um tour em cerca de 40 instituições de ensino – escolas, cursinhos e faculdades. Este já era um projeto antigo, mas quando surgiu o Burburinho pra gente, o propósito mudou. Nós fomos com a missão de formar este exército da alegria. E missão dada, é missão cumprida! Saímos com dois dias de abadás esgotados, com uma galera super animada, e exatamente com aqueles rostinhos conhecidos que encontramos na nossa caminhada. O ano seguinte foi ainda melhor. Fidelizamos o nosso público! Em 2017, queremos mais uma vez superar as expectativas! É emocionante e gratificante demais!

Cj Martim: Vocês produzem clipes muito criativos, algo que parece simples, mas não é. Quais referências de videoclipes que a banda possui e se a plataforma ainda gera curiosidades, como nos anos 80 e 90.

Duas Medidas: Exatamente: parece simples, mas não é! Só que a gente se diverte muito fazendo. Tem toda uma equipe por trás, reuniões, dias de pré-produção, horas de gravação e planejamento de divulgação… e nos envolvemos em cada detalhe. Assistimos muitos clipes internacionais e filmes que despertam a nossa criatividade. Mas a maioria vem da nossa cabeça mesmo! (risos). A gente se junta e vem uma tempestade de ideias que resulta sempre em coisas diferentes e inusitadas.

Cj Martim: As Micaretas ainda mantém o posto de grandes divulgadoras dos trabalhos de bandas baianas ou, por conta da crise, muitos eventos não tem o mesmo retorno de antes?

Duas Medidas: Claro que a crise afeta a todos e diminui o ritmo de eventos, dos menores aos mais tradicionais. Talvez por isso as micaretas se tornem ainda mais importantes: porque as oportunidades estão se reduzindo. Tenho grande respeito pela Micareta de Feira, Fortal e pelo Carnatal, por exemplo. Tivemos a oportunidade de tocar em todos e foi um grande aprendizado.

Cj Martim: Nessa avalanche do mercado fonográfico, como a banda se protege para manter integra seu foco e não se esfarelar artisticamente? 

Duas Medidas: Nós estamos amadurecendo e cada vez mais encontrando a nossa identidade musical, sem esquecer os nossos princípios. Criamos o nosso balanço, que quem ouve uma vez já consegue identificar na próxima. Um dia Marcio Victor (Psirico) entrou no nosso estúdio e disse: “Eu ouço esse balanço e já sei que são vocês”.

Cj Martim: Como a crise do país direta ou indiretamente vem afetando os shows da banda? O mercado musical anda sendo atingido por esse momento ou passa incólume?

Duas Medidas: Com certeza a crise afetou a área do entretenimento em geral. É uma série de fatores que contribuem para a baixa. As festas populares no interior acontecem com menos frequência, contratam menos bandas. E por aí vai. Nos resta ter criatividade e enfrentar a crise com muita garra e força de vontade.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s