Matheus Costa: ‘É importante o ator sem contrato ter um plano B na carreira’

Matheus Costa. Foto\ IEDA RIBEIRO.

[entrevista exclusiva]

Transição. Decolar ou não na carreira. Oportunidades. Dilemas que passou o ex-ator mirim e agora um dos destaques da novela ‘Amor Sem Igual’, na RecordTV, com o personagem Peppe, MATHEUS COSTA. Em entrevista exclusiva ao blog, o ator revela sua opinião sobre o boom dos contratos por obra em novelas e séries, relembra o primeiro papel como protagonista e o período que ficou afastando da TV.

cjmartim:  Ficou com receio de não decolar na carreira de ator nesta transição de criança para adulto? A gente sabe de ex- atores mirins que não conseguiram bons personagens ou sumiram quando cresceram.

Matheus: Essa fase é complicada mesmo. Se encaixar nos perfis fica difícil. Tentei não pensar muito no que ia acontecer, focava no que eu poderia fazer enquanto não surgiam trabalhos. Fiquei afastado da TV por bastante tempo, levando em consideração que, quando eu era menor, fazia praticamente uma novela por ano. Mas tive a oportunidade de nesse período fazer quatro filmes (Aos teus Olhos, Carlinhos Carlão, Cinderela Pop e Derrapada), uma série para a TV Brasil (ERNESTO o Exterminador de Seres Monstruosos), a primeira fase da novela O Rico e Lázaro, me formar no curso de atores da Escola de Atores Wolf Maya, me formar em inglês, entrar pra faculdade de cinema, e conciliar um trabalho ou outro com a minha vida pessoal. Passei por essa fase sem me preocupar tanto, porque estava às vezes envolvido com algum projeto. Mas confesso que pensar em parar passa por nossa cabeça sim! Mas no meu caso, não desisti.

cjmartim: Qual é sua metodologia de estudo de composição do personagem? É muito cansativo esse processo?

Matheus: Não tenho uma metodologia específica, cada personagem exige de mim uma entrega diferente. O que com certeza me ajuda e muito é, depois de feita a caracterização do personagem, isso me dá uma referência e completa todo o meu estudo. Não é cansativo não, pelo contrário, é maravilhoso, desafiador.

cjmartim: O longa ‘Derrapada’ foi algo novo em sua carreira? O que a linguagem do cinema permite e não permite ao ator?

Matheus: Em “Derrapada” o Samuca é o meu primeiro protagonista. Pra mim e pra qualquer outro ator, protagonizar um filme é uma responsabilidade grande, é um reconhecimento maravilhoso do meu trabalho. Fazer cinema da uma liberdade de criação do personagem e um entendimento maior da obra como um todo… a criatividade e entrega são muito divertidas. Trabalhar com cinema é mágico, algo que eu quero pro resto da minha vida! 

cjmartim: Seu contrato é por obra? Se sim, esse novo modelo adotado por grandes emissoras não é perigoso para o sustento do ator?

Matheus: Sou contratado por obra. Nunca fui contratado de uma emissora por longo período, então, pra mim, nada muda. Não é fácil. O ator durante a obra está garantido, mas finalizando o contrato começa tudo de novo pela busca de um novo personagem. Acho importante ter um plano B.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s